07 a 09 de Junho de 2022

13h às 20h

(11) 5585-4355 / (11) 3159-1010

comercial@fieramilano.com.br

Cipa Fiera Milano

(11) 5585-4355 / (11) 3159-1010 |

Feira e Congresso Ecoenergy

07 a 09 de Junho de 2022

13h às 20h

Cipa Fiera Milano

Feira e Congresso Ecoenergy

Cipa Fiera Milano

Leilão A-4 de energia nova tem energia eólica como maior vendedora

15 de julho de 2021
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A energia eólica foi a fonte com mais vendedores no leilão A-4 de energia nova realizado nesta 5ª feira (8.jul.2021). Ao todo, 10 empreendimentos fornecerão 167,8 MW (megawatt) de potência.

Em seguida, está a solar, com 100 MW; a biomassa, com 92,5 MW e a hidráulica com 77 MW. O leilão foi realizado pela CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) com coordenação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

As contratações são para venda no ACR (Ambiente de Contratação Regulada), no qual o consumidor compra energia diretamente das distribuidoras e no qual estão pequenas e médias empresas e a maioria dos consumidores residenciais.

De acordo o presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Thiago Barral, o destaque das energias eólica e solar é reflexo do crescimento das duas fontes no ACL (Ambiente de Contratação Livre), no qual se concentram os grandes consumidores: “No caso de eólica e solar, a gente tem visto uma expansão muito forte no mercado livre, então de certa forma esse aquecimento da expansão que foi direcionada ao mercado livre também se relaciona com a dinâmica de preços aqui no leilão de energia nova”, disse.

O deságio médio –diferença entre os preço teto estabelecido pelo governo e o valor ofertado pela empresa– foi de 28,82%, menor que o do leilão A-3 feito mais cedo. Cada fonte de energia –biomassa, eólica, hidráulica e solar– tinha um preço teto próprio. Em leilões de energia, vence quem oferece o menor preço por MWh.

Para Barral, o resultado está relacionado a “dinâmica de variação cambial” e a “aspectos relacionados à cadeia global de suprimentos”, quando questionado sobre um menor deságio frente a certames anteriores.

Segundo André Patrus, gerente-executivo da Secretaria Executiva de Leilões da Aneel, a economia feita por meio dos deságios dos 2 leilões permitirá a redução de 1,31 ponto percentual nas tarifas de energia elétrica. “O A-3 configura uma economia de R$ 1,37 bilhão e o A-4, R$ 1,17 bilhão. Somando tudo dá uma economia de R$ 2,54 bilhões e esta economia evita um aumento tarifário de 1,3 ponto percentual”, afirmou.

Ao todo, 18 empreendimentos vendedores fornecerão energia para as compradoras Equatorial Energia do Pará e para a Light.

No caso do fornecimento de energia solar, eólica e a biomassa os contratos são de 20 anos. O suprimento deve ser feito de 1 de janeiro de 2025 a 31 de dezembro de 2044. Já o fornecimento de energia hidráulica terá contrato de 30 anos, com suprimento de 1 de janeiro de 2025 a 31 de dezembro de 2054.

O investimento previsto é de R$ 1,9 bilhão.

 

FONTE:
PODER 360

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

COMUNICADO IMPORTANTE
BOLETO FALSO

CLIQUE E SAIBA MAIS
close-link