Setor sucroenergético e a produção de biogás

27 de abril de 2020
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O setor sucroenergético se destaca nos últimos anos na geração renovável de energia, seja pela produção de etanol – que é um combustível menos poluente – seja pela geração de vapor e pela bioeletricidade.

Para aumentar o portfólio de produtos, as usinas agora já trabalham em pesquisa e no desenvolvimento para inserir a geração de biogás e biometano a partir de subprodutos da cana, como vinhaça, torta de filtro outros resíduos do processo de moagem e folhas. O objetivo é gerar novas receitas econômicas, com a injeção de biometano na rede distribuidora de gás, na produção de excedente na cogeração de energia na rede elétrica, ou mesmo para uso próprio, com a substituição de diesel na frota.

De acordo com a o André Elia, Consultor Ambiental e de Recurso Hídrico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), estima-se que a produção de biogás pode aumentar em mais de 10% a produção energética de uma destilaria, somente com o reaproveitamento da vinhaça. “Com o aproveitamento dos demais resíduos esse potencial mais do que dobra. Isso trará certamente uma maior sustentabilidade ambiental ao setor sucroenergético como um todo, podendo em certos casos zerar a pegada de carbono,” explica.

Algumas empresas do setor já estão investindo nesse segmento, utilizando produtos subutilizados do processamento de cana.  De acordo com o representante Unica, a tecnologia de produção do biogás e biometano a partir dos resíduos do setor sucroenergético, principalmente da vinhaça, é testada desde a década de 1980, em pesquisas e plantas demonstrativas. “Na época, o setor construiu uma planta demonstrativa de grande escala na Usina São João da Boa Vista, em São Paulo, que produziu biometano para atender a frota de caminhões, em substituição ao diesel. A planta foi desmobilizada anos depois por não trazer competitividade frente ao diesel”, explica.

Outro exemplo, citado por André, é o biodigestor de vinhaça da Usina São Martinho, em São Paulo, que produz biogás para secagem de levedura. Segundo a entidade, várias outras pesquisas foram realizadas, porém a tecnologia, apesar de viável tecnicamente, não apresentou a viabilidade econômica requerida para substituição de combustível fóssil como o diesel ou produção de excedente de eletricidade.

Fontes limpas

Com a valorização da energia renovável grupos associados à Unica têm investido no biogás e no biometado. A Raizen já desenvolve uma planta para geração de energia elétrica na Usina de Bonfim, na cidade de Guariba, localizada no interior de São Paulo. A unidade, que tem uma moagem de aproximadamente 5 milhões de toneladas ao ano,  será a primeira em escala comercial no mundo a utilizar a torta de filtro, na geração de energia elétrica por meio do biogás.

O investimento inicial na unidade é de R$150 milhões e terá uma potência instalada de 21 MW para produção de 138.000 MWh/ano de bioeletricidade a partir do biogás dos resíduos agrícolas e industriais da usina.  A usina será equipada com dois métodos de produção: o primeiro adotará o sistema de co-digestão da Geo Energética, com utilização de resíduos como torta de filtro, bagaço e palha; o segundo, por sua vez, fará a biodigestão da vinhaça em “lagoas cobertas” a cargo da empresa Sebigas-Cótica.

A biodigestão dos subprodutos da usina de Guariba da Raízen permitirá uma produção de 138 mil MWh por ano, que é suficiente para abastecer, por exemplo, o próprio município e as cidades próximas. Desses, 96 mil MWh serão vendidos no contrato de leilão de 2016, do qual a Raízen foi a vencedora. E o valor excedente deverá ser negociado no mercado livre ou comercializado por meio de outros contratos.

O Grupo Cocal, juntamente com a empresa GasBrasiliano, também anunciou o desenvolvimento de um projeto que visa a  produção de biometano a partir dos resíduos da cana-de-açúcar – vinhaça, torta de filtro e palha da cana  – na unidade de Narandiba da Cocal, em São Paulo.

O investimento estimado é de R$ 160 milhões, com R$ 130 milhões da usina sucroenergética para a produção do combustível e R$ 30 milhões pela distribuidora para construir 65 quilômetros de rede. A previsão é que a operação comece no segundo semestre de 2020 com a capacidade de ofertar até 67 mil metros cúbicos de biometano por dia.

Em Goiás, a  Jalles Machado  desenvolve estudos de  viabilidade para a produção de  biogás na unidade de Goianésia.  A empresa  planeja produzir através da vinhaça e torta de filtro. O projeto tem previsão inicial para o início de  2021.

Essas são iniciativas que demonstram uma solução importante para o setor no desenvolvimento desse novo produto energético “Hoje, praticamente não há geração de biogás ou biometano pelo setor em grande escala, mas estima-se que só com a vinhaça pode-se produzir cerca de 3,5 bilhões de Nm3 de biometano por ano em 2030 com o RenovaBio”, afirma André. Segundo ele, para que todo esse potencial de energia renovável se viabilize é necessário o desenvolvimento de políticas públicas em paralelo com as iniciativas pontuais de inovações de alguns grupos do setor. “A Unica tem uma ação e agenda com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo para discutir a implementação desses projetos de produção de biogás e biometano, visando a busca de regulação, políticas públicas e incentivos”.

Canal-Jornal da Bioenergia

FONTE:
CANAL JORNAL DA BIOENERGIA

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.


A Cipa Fiera Milano é especializada em feiras de negócios e publicações técnicas e tem como objetivo, aproximar organizações e criar oportunidades de relacionamentos, por meio da realização de grandes feiras e publicação de revistas setorizadas na América Latina.

Receba Nossa Newsletter

Seu nome

Seu e-mail

 Sim, eu quero receber comunicações do Grupo Cipa Fiera Milano
 Sim, eu quero receber comunicações dos parceiros do Grupo Cipa Fiera Milano
 Sim, eu concordo com os termos de uso e com a Política de Privacidade do Grupo Cipa Fiera Milano

Fale Conosco

Avenida Angélica, 2491 - 20 andar - Cj. 204

Telefone:
+55 11 5585.4355
+55 11 3159-1010

E-mail: info@fieramilano.com.br

Website: www.cipafieramilano.com.br

Copyright by Ecoenergy 2020. All rights reserved.